sábado, 1 de agosto de 2009

As surpresas da semana

1 - Combate o Estigma com um Abraço!

2 - O meu novo computador é da Toshiba, vamos ver se tenho um pouco de mais sorte...

3 - Para ir de férias cá dentro: Descubra Portugal.

4 - Passatempo Sapo Astral/Daniela Mercury: participe e concorra a bilhetes duplos para os espectáculos em Olhão e Ponte de Lima. (até 11 de Agosto 2009).

5 - Mais uma desc0berta/partilha do Paulo: N. S. Mãe dos Pobres.

6 - Passatempo SAPO Mulher e a Leya têm para oferecer 10 livros "O Colar" de Cheryl Jarvis. Para ganhar responde a uma questão até 21 de Agosto 2009.

7 - Uma partilha do Pedro: Um sopro de Luz.

8 - Limpar Portugal: Vamos limpar a floresta portuguesa num só dia!

9 - Um grande poeta: António Ramos Rosa.

10 - Os comportamentos suicidários entre os adolescentes estão a aumentar em Portugal. Todos os anos, mais de dois mil jovens atentam contra a vida, mesmo quando a morte não é o objectivo. "Para eles, a vida vale pouco".

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Letras

Faz tempo que havia raparigas virgens, homens honestos e políticos sinceros.

Edson Athayde in DNa - Agosto 2003
Perfume a sua casa com os cheiros de Verão
Ambientadores caseiros

"Este Verão, encha a sua casa de energia positiva perfumando-a com aromas frescos feitos por si, com ingredientes que, se não tem na sua dispensa, encontra facilmente no mercado, na florista do seu bairro ou num jardim próximo.
As flores (e os seus óleos) e as frutas são usadas desde sempre para aromatizar os ambientes e melhorar a sensação de bem-estar nas casas e espaços públicos, assim como afastar insectos.
É muito fácil fazer ambientadores naturais: pode usar o que tiver à mão, como citrinos, pétalas ou ramos de flores, ervas aromáticas ou mesmo óleos. Lembre-se, porém, de que mais vale ir misturando os aromas aos poucos para obter fragrâncias suaves e agradáveis, caso contrário podem ficar demasiado intensas.
Há vários tipos de perfumes e, tendo em mente qual se quer conseguir, pode escolher os ingredientes que vai utilizar. São eles:
- Cítricos: citrinos, frutos vermelhos, ananás, e outros frutos secos.
- Florais: divididos em verdes, amadeirados, frutais, entre outros.
- Filifolhas: lavanda, gerânio...
- Amadeirados: pachuli, sândalo, cedro, pinho.
- Âmbar ou orientais: baunilha.
- Couro: cheiros que lembram a madeira queimada, o tabaco e o couro em si.
Lembre-se também que cada divisão da casa pede aromas diferentes.
Hall de entrada: ficam melhor os perfumes quentes, amadeirados ou florais, para dar as boas-vindas a quem chega e fazê-los sentir-se acolhidos.
Sala: a sala é a divisão mais polivalente, já que aceita todo o tipo de perfumes, dependendo do estado de espírito com que se esteja, ou da época do ano.
Quartos: os orientais são aromas sensuais e íntimos, mas os florais também dão aos quartos uma sensação de romantismo e recolhimento.
Cozinha: na cozinha convém usar aromas florais ou frutados, que não "invadem" os alimentos e que combinam bem com os cheiros próprios desta divisão da casa.
Casa de banho: aqui também há liberdade, mas um aroma citrino e fresco, assim como os de flores filifolhas, dão a sensação de limpeza.

Spray de Lima-Limão: Limão, lima e bicarbonato de sódio. Num litro de água quente, dissolva uma colher de chá de bicarbonato de sódio e misture o sumo de um limão e de uma lima. Ponha a mistura num borrifador e perfume a sua casa com esse aroma fresco.

Gelado exótico de baunilha: Eucalipto, hortelã-pimenta, sálvia, louro ou mirto, pétalas de rosa, baunilha, canela e gengibre. Num cesto de verga, misture as folhas de eucalipto, de louro, de sálvia, as pétalas de rosa, uns raminhos de hortelã-pimenta e deixe ir secando. Quando começarem a perder o seu aroma, regue-as com um pouco de álcool e abane o cesto, para misturar as ervas e intensificar o perfume.

Índia fresca: Limão, cravo-da-índia e rosmaninho. Escolha um limão bonito e grande e decore-o, espetando uma fila de cravos-da-índia e uma fila de raminhos pequenos e fortes de rosmaninho, alternadamente. Arranje uma fita bonita ou um cordel e ate-o à volta do limão, puxando os extremos para uma ponta e prendendo-os com os cravos-da-índia. Assim poderá pendurá-lo num armário ou numa porta, para que o aroma se espalhe. Se preferir, pode colocá-lo num prato ou numa fruteira. Também pode usar uma laranja.

Fantasia barroca: Lúcia-lima, lavanda, rosmaninho, tanaceto-crispado (Tanacetum Vulgare), manjerona, calêndula, jasmim, rosas, madressilva, flores de laranjeira frescas e limão. Misture uma pitada de cada uma das ervas aromáticas e flores que conseguiu reunir e ponha-as a secar num prato raso, sobre uma folha de papel de jornal. Quando estiverem semi-secas (uns dias depois), ponha uma raíz de íris no copo da sua Braun Minipimer, regue com o sumo de limão e misture. Barre as folhas que estão a secar com a mistura obtida, sem as molhar completamente, acrescente uma casca de limão e deixe-as ficar mais uns dias.
Quando estiverem secas, ponha tudo num pote e mantenha-o fechado, guarde-o durante cerca de um mês, agitando-o de vez em quando para distribuir os aromas. Passado esse tempo, coloque a mistura numa caixa perfurada, num saquinho de pano ou numa taça, e perfume com eles o espaço pretendido.

Paixão por canela: Canela e laranja, limão, lima ou tangerina. Ponha água a ferver numa panela, coloque uns pedaços de casca do fruto que tiver escolhido (pode combinar a laranja com qualquer um dos outros), acrescentando ainda umas gotas de sumo da mesma fruta e um pau de canela. Deixe ferver durante cerca de 30 minutos. Deixe esfriar, deite o líquido obtido num copo ou numa taça e coloque-o no lugar da casa que quer perfumar."

In Verão09 - a revista

quinta-feira, 30 de julho de 2009

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Comunicado

O meu computador decidiu ir de férias...
E sem hipóteses de retorno tão cedo...
Este blogue vai ser actualizado conforme for possível, utilizando computadores de amigos ou de acesso público.
Pedimos desculpa pela interrupção, a actualização seguirá conforme desenvolvimentos pessoais, socias e económicos!

Obrigado por continuarem comigo!
Maria Lua

terça-feira, 28 de julho de 2009

Brincadeira de mau gosto: primeiro retiramos/apreendemos, depois voltamos a colocar no mercado...

Observatório condena leilão de armas pela PSP
Organismo criado pela Comissão Nacional Justiça e Paz diz que estamos na presença de um «sinal contrário ao da destruição das armas»


"O Observatório sobre a Produção, Comércio e Proliferação das Armas Ligeiras da Comissão Nacional Justiça e Paz (CNJP) manifestou a sua discordância em relação ao leilão de 217 armas de fogo, pela PSP, marcado para o próximo dia 27.
Segundo este organismo, estamos na presença de um "sinal contrário ao da destruição das armas" e que, embora legal, "concretiza uma acção que o Observatório tem, desde o início da aplicação da Lei 5/2006 considerado como contraproducente em termos de luta contra a proliferação das armas ligeiras".
Estas armas tinham sido entregues ao Estado, designadamente no âmbito da moratória prevista pelo novo regime jurídico das armas e suas munições, ou recuperadas, achadas ou apreendidas por acção das próprias forças de segurança.
Luís Farinha, do Departamento de Armas e Explosivos da Polícia, explicou ainda que as armas para leilão "nunca estiveram envolvidas em actos criminosos" e que "são todas perdidas a favor do Estado".
O Observatório lembra que, a 14 de Julho, o Estado tinha procedido a uma operação de grande envergadura destruindo cerca de 16mil armas, das quais cerca de 1000 eram de fogo, com grande projecção mediática e com "grande impacto na dissuasão do uso de armas de fogo". "Mal se percebe que agora venha a dar um sinal contrário prejudicando a luta contra a proliferação das armas", refere a nota enviado à Agência ECCLESIA pelo presidente do organismo, Fernando Manuel Roque de Oliveira.
"O sinal dado pela destruição das armas é tão forte que suplanta os magros euros que o leilão poderá trazer aos cofres do Estado por esta transacção", defende o organismo da CNJP.
Entre 2005 e 2008, de acordo com o Relatório Anual de Segurança Interna de 2008, as armas de fogo apreendidas, entregues ou recuperadas alcançaram o número de 15 700, a que se deverão somar 2300 armas perdidas a favor do Estado.
"Muitas poderiam ser úteis ao ser destruídas, no futuro, reforçando a luta contra a proliferação de armas ligeiras e não prejudicando-a, como irá acontecer neste leilão de 217 armas de fogo", indica o Observatório Permanente sobre a Produção, Comércio e Proliferação das armas ligeiras.
Este organismo foi criado pela Comissão Nacional Justiça e Paz em finais de 2004 e iniciou as suas actividades com uma breve investigação caracterizando a ligação da proliferação das armas ligeiras à violência urbana e aos casos de crime organizado em Portugal e no mundo.
O Observatório tenta que, em Portugal, as armas recuperadas, apreendidas ou tornadas redundantes por substituição, quer pelas forças de segurança, quer pelas forças armadas, sejam, por princípio, destruídas, retirando-as, assim, dos circuitos comerciais, legítimos ou ilegítimos."

In site Agência Ecclesia

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Porquê comer devagar?!

"Sabia que as pessoas que se alimentam mais rapidamente tendem a ingerir uma quantidade de alimentos superior às suas necessidades? E que muitas vezes estes hábitos de consumo se repercutem numa maior dificuldade em gerir o peso corporal?

Ritual: Mastigue todos os alimentos de forma lenta e pausada, saboreando-os melhor e durante mais tempo e facilitando também os processos de digestão a percepção de saciedade.
Os hábitos alimentares são cada vez mais um tema de conversa (e de interesse) no nosso dia-a-dia. Vários factores - como as constantes menções e recomendações alimentares por parte dos especialistas das mais distintas áreas da saúde, o mediatismo gerado na comunicação social em torno da desta temática, e o acesso cada vez mais facilitado a credíveis fontes de informação que testemunham a associação entre uma alimentação equilibrada e uma melhoria nos indicadores de saúde e bem-estar – têm contribuído fortemente para este fenómeno. Contudo, convém ressaltar que, para além dos alimentos que ingerimos, também a forma como o fazemos é fundamental para uma melhor digestão, melhor controlo do peso e melhor apreciação das nossas escolhas.
A mastigação lenta e eficiente dos alimentos e a sua ingestão compassada - com pequenas pausas entre cada deglutição - é ponto-chave no nosso dia alimentar. Três razões principais justificam esta afirmação: 1) Uma mastigação incompleta resulta numa fragmentação insuficiente dos alimentos, maior tempo de digestão (e eventual maior absorção de alimentos) e maior sobrecarga do sistema digestivo; 2) Os sinais de saciedade que o estômago transmite ao cérebro não são imediatos à ingestão alimentar - facto este que explica os mais frequentes excessos alimentares e a maior prevalência de excesso de peso e obesidade entre pessoas com maior voracidade alimentar; 3) Como as papilas gustativas se encontram localizadas na cavidade bucal (onde começa a digestão!), será difícil conseguir uma verdadeira e agradável apreciação dos alimentos no decorrer de uma refeição apressada.
Assim, procure optimizar os seus hábitos de consumo alimentar, começando por exemplo pela preparação cuidada das refeições e pela escolha de um ambiente calmo, sereno e que despolete uma relação positiva e saudável com a alimentação.

Considerações:

• Reserve pelo menos 30-45 minutos para as suas refeições principais e 10-15 minutos para as suas refeições intercalares, deglutindo calmamente os alimentos que escolheu.

• Deixe que os alimentos “passeiem” pela sua boca: analise os seus contrastes e texturas, distinga os sabores básicos como o doce, o ácido, o amargo e o salgado, e torne-se um verdadeiro apreciador de gastronomia de qualidade.

• Não dispense companhia no horário das refeições. Seja com a família, amigos ou colegas de trabalho, poderá sempre aproveitar os momentos de conversa para pequenas pausas entre cada deglutição.

• Procure que, nas refeições em grupo, seja o primeiro a começar a comer e o último a acabar. Contudo, tenha presente que o objectivo é alimentar-se mais devagar, sem aumentar a quantidade de alimentos habitual e que considera ser suficiente.

• Habitue-se a pousar os talheres várias vezes no decorrer da refeição. Se o conseguir realizar durante alguns segundos após cada “viagem” à boca, tanto melhor!

• Pergunte-se com frequência "Ainda tenho fome?" ou "Já estou satisfeito/a?". Muitas vezes a nossa ingestão alimentar é superior às nossas reais necessidades…

• Quanto se deslocar a um restaurante chinês (e/ou sempre que a ementa assim proporcionar e lhe for conveniente) utilize os “pauzinhos” – também conhecidos por chopsticks – para se alimentar. Verá como o tempo passa e os alimentos “resistem” no prato…!"

In site Rituais de Vida Saudável

domingo, 26 de julho de 2009

As imagens da semana

Quando fui à FIA - Feira Internacional de Artesanato 2009, estava em exibição a exposição "Fios, Teias e Tecidos" integrado no Prémio Nacional de Artesanato - instituído pelo Ministério da Solidariedade Social, através do Instituto do Emprego e da Formação Profissional.
E as peças exibidas eram magníficas! Muito trabalho, criatividade, tradição, empenho e portugalidade! Um verdadeiro orgulho nacional!
Seria bom que essa exposição estivesse presente em todas cidades do país, para que todos vissem o melhor que se faz em Portugal.
Deixo algumas fotografias, lamento se não estão todas as peças nem a referência aos autores/criadores...
Sou uma grande adepta de tudo o que é Nacional, porque é nosso e é muito bom. Espero que também o sejam!
Boa semana.