sábado, 22 de setembro de 2007

As surpresas da semana

1 - Um projecto espantoso com jóias em cortiça para ver em: http://www.esad.pt/2ndskin/index.php?area=2NDSKIN

2 - As dicas da Luísa para fazer bolas de pentágonos em tecido: http://luisalourenco.blogspot.com/2007/09/dicas-para-fazer-bolas-de-pentgonos_05.html

3 - A Declaration of Independence dos EUA em: http://youtube.com/watch?v=ZxTvS-kyHzs

4 - Mundo estranho esse em que vivemos, quando ajudamos vamos presos. Para ler em: http://www.miguelportas.net/blog/?p=141

5 - A Violeta precisa de uma boa família que a estime até ao fim da sua vida! Para ver em: http://bichanosdoporto.blogspot.com/2007/09/violeta.html

6 - Uma receita com um aspecto delicioso a experimentar em breve em: http://paracozinhar.blogspot.com/2007/09/po-de-banana-e-chocolate.html

7 - As belas fotografias, tiradas pela Bettips, do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima em: http://bettips.blogspot.com/2007/08/festival-internacional-de-jardins-em.html e em: http://bettips.blogspot.com/2007/08/jardins-em-festival.html

8 - Uma ficção real em que o escritor/assassínio foi condenado a 25 anos de prisão. Para ler em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft0609200711.htm

9 - Também eu sinto e constato esta realidade: http://prazer_inculto.blogspot.com/2007/09/down-down-and-away-hoje-soube-de-duas.html

10 - Via Coisas, um belíssimo chuveiro para a nossa casa em: http://freshome.com/2007/09/10/a-shower-for-a-modern-home/

11 - Um Workshop de Feltro Artesanal da Helena a não perder! Mais informações em: http://www.flickr.com/groups/cursoseworkshops/discuss/72157602036783380/

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Peace One Day - 21 de Setembro 2007

Paz

Peace, Frieden, Paix, Vrede, Shalom, 和平, Pace, 평화, мир

O Dobro

Quando um país vencia o outro país,
tornava-se duas vezes maior e ficava duas vezes mais
cansado.
E duas vezes mais destruído.
Quando um país vencia o outro país,
tinha duas vezes mais mortos e feridos.
E duas vezes mais estômagos vazios.
Quando um país vencia o outro país,
tornava-se duas vezes maior e ficava duas vezes mais
cansado.

Theo Olthuis
(Tradução de Lina Cortesão)

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Peace One Day - 21 de Setembro 2007
Post pela Paz
Um desafio virtual com efeitos reais

Começou por ser uma ideia lançada pelo Mudar o Mundo e que entusiasticamente acarinhei.
O Luís não esqueceu o meu comentário e mandou um mail com a proposta e a iniciativa em: http://ppp.mudaromundo.com/.
O blogue Mudar o Mundo decidiu avançar e já começaram a fazer a diferença, eu sigo com a ideia, mas precisamos da colaboração de todos vós (os pouco que visitam este cantinho e têm outros blogues) na divulgação e colaboração dessa iniciativa.
Não esquecer:
- É importante inscrever o blogue que vai participar com um post pela Paz no dia 21, porque, dessa forma, estará a contribuir com um Pão Moinhos Vivos a ser entregue a instituições que necessitem.
- Divulgar por palavras, por ideias, em conversa ou colocando um dos banners sobre a iniciativa.
Posso, perdão, podemos contar com a ajuda de algum de vós? Ou de muitos de vós?
Podemos fazer do dia 21 de Setembro, para quem navega na internet, um dia de reflexão sobre a importância da Paz?
Acredito que sim!
Obrigado.
Início do Leilão de Setembro do Projecto Mão a Mão

O leilão do mês de Setembro já está a funcionar no site: www.mao-a-mao-leilao.blogspot.com
Até ao próximo dia 30 de Setembro poderão licitar qualquer um dos 33 artigos expostos, colocando um comentário no artigo desejado e deixando sempre um contacto.
A instituição que beneficiará deste leilão é a CASA - Centro de Acolhimento para os Sem Abrigo da Tégua - Portalegre poderá encontrar a caracterização desta associação em http://mao-a-mao-leilao.blogspot.com/2007/09/c.html.
Boas Licitações!

www.mao-a-mao.blogspot.com
www.mao-a-mao-leilao.blogspot.com
Aves em Portugal - Pardal-comum

"Volto novamente ao post Aves em Portugal, desta vez com uma das aves mais conhecidas em Portugal, o pardal-comum (Passer domesticus).
Pertencente à família Passeridae, mede entre 14 e 15 cm, e é uma ave que se adaptou muito bem aos ambientes citadinos e à presença humana, sendo actualmente a ave com maior distribuição geográfica. Encontra-se em todos os locais habitados por pessoas, no campo ou na cidade. A sua dieta é à base de insectos, sementes e restos de comida.
O macho distingue-se da fêmea por este apresentar uma coroa escura e um bibe preto que se alarga no peito, enquanto que a fêmea costuma ser mais clara. O seu ninho, construído nas fendas de edifícios e nas árvores, costuma ser esférico com uma entrada lateral, construída à base de capins, algodão e outras fibras. Também é costume vê-los a usar ninhos de outras aves (que preguiçosos hein?).
Os ovos do pardal são manchados, e a fêmea costuma pôr e incubar entre 3 a 5 ovos por postura, levando cerca de 14 dias de incubação. Os filhotes são alimentados com pequenos artrópodes e abandonam o ninho com cerca de 10 dias de idade, costumando voltar ao ninho para nele dormirem, durante algum tempo.
Em algumas zonas da Europa, a sua população está a diminuir drasticamente, chegando a estarem em perigo na Holanda. Entre as causas desta diminuição da população de pardais encontramos a diminuição na construção de casas com telhado, ou então com nenhum espaço para os pardais construírem os seus ninhos; alterações na jardinagem acabando com os sítios de construção de ninhos e a utilização excessiva de pesticidas diminuem as populações de insectos, impedindo assim os pardais de se alimentarem."

In blogue: http://blogdosbichos.blogs.sapo.pt/517080.html

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Doce de Tomate da minha mãe

Ingredientes
3 kg de tomate bem maduro, pelado e sem pevides
o mesmo peso do tomate escorrido e pelado, de açúcar amarelo
casca de 1 limão
2 paus de canela
Confecção
Deite o tomate pelado e sem pevides num tacho, e leve ao lume até ferver.
Depois de cozido, escorra a água (com a ajuda de um passador).
Após bem escorrido, pese o tomate numa balança e coloque o mesmo peso de açúcar que este tiver.
Leve novamente ao lume e junte o açúcar, a casca de limão e os paus de canela. Misture bem.
Cozinhe em lume brando até ao ponto pérola (não se esqueça de ir mexendo, de vez em quando, com uma colher de pau).
Retire do lume, tire os paus de canela e a casca de limão, e deite em frascos limpos (enchem-se até dois centímetros da boca do frasco), sem cheiros e bem secos. Limpe o bordo interior de cada um dos frascos e deixe arrefecer.
Poderá colocar um pequeno disco em papel vegetal, molhado em aguardente, no cimo do frasco após encher com o doce e, seguidamente, fechá-los muito bem.

Para pelar: colocar todo o tomate num recipiente e regar com água a ferver. Assim, a pele sairá mais facilmente quando formos tirá-la.

Esta receita é da minha mãe, é o meu doce preferido e é feito todos os anos desde que sou criança (espero que a tradição se mantenha por muitos mais anos!).
É bom para comer no pão, com bolachas ou biscoitos quando o frio/Inverno chegar ou poderá ser utilizado em pratos de sobremesa.
Espero que gostem tanto como eu!

domingo, 16 de setembro de 2007

As imagens da semana

Existem locais que depois de serem descobertos passam a ser um segredo bem guardado...
Esta semana descobri o Bar Entretanto (Hotel Lisboa Regency Chiado ) primeiro com amigos, depois com alguém especial, e a sensação foi de deslumbramento!
Apesar de algumas falhas graves como o serviço, demasiado lento, com troca e esquecimento dos pedidos (que após algum desconforto visível e reclamação, foi-nos atenciosamente explicado que o problema procedia da falta de pessoal, uma vez que os funcionários eram poucos e tinham de assistir a todo o hotel) e outras como se pode ler aqui.
Existindo a necessidade de imediata resolução destes erros, tendo em conta estarmos perante um hotel denominado de qualidade, este segredo merece uma visita prolongada para assistir ao entardecer da cidade, ao desvanecer da luz do dia substituída por paletas de cor amarela nostálgica. Para sentir os cheiros que a brisa transporta ao correr para o Rio e ouvir os sons que se misturam entre vidas humanas e as gaivotas que habitam estes céus.
Merece sem dúvida ser partilhado com quem mais gostamos, de alma aberta para receber esta Lisboa que nos encanta e enlouquece.
Na Rua Nova do Almada, 114 (a entrada faz-se pela porta do hotel), subindo o elevador até ao 7º piso.
Para beber algo e absorver a poesia de uma das cidades mais belas do mundo!

Bar Entretanto - Entre uma cidade e tanto sentimento...

A partilha da beleza que nos rodeia com quem nos quer bem...

Bom vinho e excelente champanhe (com notas de framboesas e morangos!) a copo...

Os quartos com direito a varanda privativa e vista espantosa...

rodeados de relva e plantas...

e soberbas bunganvílias brancas!

A vista sobre o meu lado esquerdo conforta os pobres de espírito...

e ampara os pequenos desalentos da vida...

Quem poderá ficar indiferente a tamanha beleza...

que emana do ventre desta amada terra rodeada de cimento e luz?

O impunente Castelo de S. Jorge vigia a entrada de mouros e malfeitores.

A vista que sobressaí do meu lado direito...

e suavemente espalha-se até ao Rio Tejo.

A velha e sábia Sé de Lisboa protege quem por aqui norteia o seu destino...

e tenta alcançar o maior bem: a felicidade.

Ao fundo, ergue-se corajosamente o Arco do Triunfo...

coroando os que continuam a amar esta mágica Cidade.