quinta-feira, 22 de julho de 2010

Exercício físico na adolescência minimiza risco de problemas mentais na terceira idade

Os adolescentes fisicamente activos apresentam riscos menores de sofrerem deteriorações mentais na terceira idade, sendo que este efeito do exercício físico é mais notável nas mulheres, revela um estudo publicado no Journal of the American Geriatrics Society.
Foram utilizados dados de 9395 mulheres com 65 anos ou mais, que foram questionadas sobre a regularidade da prática de exercício durante a sua adolescência, aos 30 e aos 50 anos. As suas funções cognitivas também foram avaliadas.
Segundo os resultados, aquelas que praticavam exercício com regularidade em qualquer idade, tiveram um risco menor de debilitações mentais, quando mais velhas. No entanto, os benefícios foram mais visíveis nas mulheres que eram activas na adolescência.
Apenas 8,5 por cento das que eram activas nessa época ficaram mentalmente debilitadas mais tarde, em comparação a 16,7 por cento daquelas que foram sedentárias na adolescência. Após ajustar as diferenças entre os grupos e factores de risco como diabetes, os investigadores concluíram que a actividade física durante a adolescência estava associada a um risco 35 por cento menor de debilitação cognitiva mais tarde.
"As pessoas muitas vezes separam a mente do corpo e esquecem que a actividade física é controlada pelo cérebro", referiu Laura E. Middleton, líder do estudo.

In Ciência Hoje

2 comentários:

Rui disse...

Obrigado por divulgar...

Maria Lua disse...

Boa tarde Rui,

não sei o que possa ter divulgado para agradecer, em todo caso, se o fiz é porque vale a pena!
Boa semana.
:-)